sexta-feira, 12 de junho de 2009

Evolução das fábulas e autores que dedicaram às fábulas

As fábulas sempre obtiveram grande receptividade junto ao público. Sua temática, o disfarce e a moralidade que apresentam exercem uma forte atração sobre o público leitor. As fábulas funcionam como espelho, pois refletem uma realidade que deve ser observada pelo homem que deseja viver bem. Dessa forma, disfarçadamente, representa , em certas épocas, uma sátira à sociedade feudal.
São muitos os autores que se dedicaram às fábulas em diversas épocas. Citaremos apenas algumas, pois são várias as traduções.
  • As fábulas de Fedro começam a ficar conhecidas no século X .
  • No século XII , na França, com a repercussão das Fábulas, surgiram certas histórias de animais, narradas em verso e em língua "romance", que ficaram conhecidas como Isopets; histórias que giravam em torno de uma personagem principal, a raposa, e suas peripécias contra o lobo. Numa primeira fase , eram relatos moralizantes, sendo depois adaptados para a escola. Tinham como objetivos: divertir e moralizar. A consequência é o surgimento do ciclo denominado Romance da Raposa ,que representou uma sátira à sociedade francesa.
  • No século XIX , o monge grego Planúdio, frade de Constantinopla, escreveu um livro Vida de Esopo, junta fábulas e apólogos.
  • Em Portugal , fez-se a tradução das Fábulas de Esopo com o título Livro de Esopo ou Esopete, de autor desconhecido; bem mais tarde Leite de Vasconcelos, publica-o novamente.
  • A primeira impressão das fábulas de Esopo se dá na Espanha por volta de 1489, traduzidas por Juan Hurus, impressor alemão em Zaragoza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário