sexta-feira, 12 de junho de 2009

Esopo, as fábulas e suas características


Um escravo que viveu no século VI a.C, foi o introdutor da fábula na Grécia, na tradição escrita. Muitas fábulas que foram atribuídas a Esopo já haviam sido divulgadas,no Egito, quase mil anos antes de sua época, e na Índia, onde houve inúmeros fabulistas. Algumas foram reproduzidas por autores modernos e pertencem ao fabulário hindu, como o Panchatantra, que atribuem ao sábio Bildpai, o Esopo do orientais.
O Panchatantra é a mais antiga coleção de fábulas indianas conhecida. Originalmente era uma coleção de fábulas com animais em verso e prosa em sânscrito (hindu) e em pali (budista). O texto original em sânscrito, atualmente perdido, que foi provavelmente composto no século III é atribuido a Vishnu Sarma. Entretanto, sendo baseado em tradições orais mais antigas, seus antecedentes entre contadores de histórias provavelmente são tão antigos quanto a origem da língua e dos primeiros agrupamentos sociais do subcontinente de caçadores e pescadores reunidos em torno de fogueiras. É certamente o produto literário da Índia mais traduzido e possui mais de 200 versões em mais de 50 línguas.

Características das fábulas esopianas:
  • narrativas, geralmente, curtas, bem-humoradas e relacionadas ao cotidiano
  • encerram em si uma linguagem simples, pois dirigem-se ao povo
  • apresentam-se repetições vocabulares num texto em prosa
  • contêm simples conselhos sobre lealdade, generosidade e as virtudes do trabalho
  • a moral é representada por um pensamento, nem sempre relacionado diretamente à narrativa
  • personagens são, basicamente, animais que apresentam comportamento humano

2 comentários: